Um acampamento foi montado por um grupo de evangélicos na cabeceira da Ponte Newton Navarro, em Natal, e voluntários começaram a revezar 24 horas por dia no local para impedir que pessoas cometam suicídio. A ponte liga as regiões Leste e Norte da capital potiguar e passa por cima do encontro do Rio Potengi com o mar. A parte mais alta da estrutura tem 60m de distância até a água.

 

 

"Eu tive um sonho. Meu filho caía daqui, ele pulava. Eu acordei chorando, desesperado. Eu senti a dor das famílias enlutadas", conta Rubens Medeiros, idealizador da ação voluntária.

 

Entre os voluntários, está um homem que, em 2012, pulou da ponte e sobreviveu. Hoje, Grégore atua no projeto como voluntário. Ele e os colegas dizem que só deixarão o acampamento depois que uma proteção for colocada na estrutura, para evitar que mais gente se jogue lá de cima.

 

“Fazemos todo um trabalho de acolhimento, mas é muito maior do que nós imaginamos. É preciso que essas ações sociais tomem, realmente, uma proporção maior”, afirma Valdir Luiz, um dos voluntários.